A carregar Espetáculos

Espetáculos

Teatro

ERMELINDA DO RIO

TEATRO DA TERRA
NOTURNO PARA VOZ E CONCERTINA
DE JOÃO MONGE, COM MARIA JOÃO LUÍS
DIA 20 DEZ . SEXTA . 21H30

“Noturno para voz e concertina” é o subtítulo do testemunho dorido de quem perdeu grande parte da família na maior catástrofe natural em Portugal desde o terramoto de 1755.

As cheias do Tejo a 26 de novembro de 1967, no Ribatejo e arredores de Lisboa, serviram de inspiração para João Monge escrever, na primeira pessoa, um poema narrativo pelos olhos de uma menina e de sua mãe, que vivem a tragédia de sobreviver para assistir impotentes ao desaparecimento da sua família, de amigos, de conhecidos. Bastou uma noite de chuva, como tantas outras, para que de madrugada o mundo estivesse virado do avesso.

Maria João Luís, na altura com 4 anos de idade, é uma dessas pessoas que, juntamente com o pai, a mãe e o irmão, sobreviveram àquela noite de novembro porque viviam numa zona alta de Alhandra, mas muitos dos seus familiares, desapareceram nessa noite.

A noite do fim do mundo, como alguém lhe chamou, 50 anos depois, é ainda uma história mal contada.

O Portugal de Salazar não quis que a tragédia falasse da sua real dimensão e o que nos resta hoje são os testemunhos dos sobreviventes, que nunca esquecerão aquela noite e os dias seguintes.

“Ermelinda do Rio” é um poema vivido pela atriz, que ela própria encena, numa autoexpiação dos seus fantasmas, que ainda hoje a visitam de tempos a tempos.

Uma catarse pessoal da atriz em palco, associada às suas memórias de infância, embalada pelo som dos contrabaixos tocados ao vivo, em que cada sessão teatral passa ao estado de ritual reflexivo partilhado e em comunhão com o público.

 

Detalhes

Data:
20 Dezembro
Hora:
21:30
Categoria de Espetáculo:

Outro

Barra lateral

BILHETES: Plateia 11 € , Balcão 9 € , Bilheteira online
SINOPSE: Peça original de João Monge, com música de José Peixoto e interpretação de Maria João Luís, que recorda, na primeira pessoa, as trágicas cheias do Tejo em 1967, presentes nas memórias de infância da atriz
Texto: João Monge
Encenação: Maria João Luís
Interpretação: Maria João Luís e música ao vivo a cargo de Miguel Leiria Pereira, Sofia Pires, Sofia Queiroz Orê-Ibir
Música para três contrabaixos: José Peixoto
Cenografia: José Carretas
Desenho de luz: Pedro Domingos
Assistência de encenação e design gráfico: Clarisse Ricardo
Produção: Rita Costa
Fotografia de cena: Vitorino Coragem
Direção de produção: Pedro Domingos
Produção: Teatro da Terra
Duração: 55 mins
Classificação etária: M/12

© 2018 . Fórum Municipal Luísa Todi . Todos os direitos reservados