6 Abril 21:00
Vejo Tudo Nu

Onde: Sala Principal

Custo: Entrada livre

Vejo Tudo Nu (cartaz) Título: Lauro António Masterclass: “Vejo Tudo Nu" (Vedo Nudo)
Sinopse: Retratos da sexualidade da Itália dos anos 60 através de diferentes episódios
Realização: Dino Risi
Com: Nino Manfredi, Sylva Koscina, Véronique Vendell
Género: Comédia
Ano: 1969
Duração: 114 min
IMDB: 6,3
Agenda: 6 de abril, segunda-feira, 21h00
Bilhetes: Entrada livre
Outras Informações: M/12. Ciclo Lauro António - Masterclass de História do Cinema "A Idade de Ouro do Cinema Italiano" (anos 40 aos anos 70)

Neste filme, um dos mais divertidos de Dino Risi, o realizador retoma a fórmula de comédia em episódios, traçando o retrato da Itália dos anos 60 através de ousadas histórias que giram em torno do sexo.

No episódio mais kitsch, a atriz Sylva Koscina pretende socorrer um ferido, mas acaba por provocar uma tal loucura no hospital com uma roupa quase inexistente, que centra todas as atenções e o pobre homem acaba por morrer.

Num outro, um culturista muito míope espia uma bela mulher nua que, afinal, não é mais do que uma ilusão de ótica provocada pelo reflexo no espelho.

Há ainda um homem que trai a mulher com um comboio, um fetiche que acaba por se tornar uma obsessão partilhada.

E se “Ornella” é o mais sensível retrato de um amor homossexual feito pelo cinema italiano, em “Audiência à Porta Fechada” conta-se a história do julgamento de um lavrador que abusa de uma galinha, recorrendo a todos os elementos da grande comédia à italiana.

O filme conta ainda com a extraordinária interpretação de Nino Manfredi, que fecha o filme com a história de um publicitário que, à força de despir as mulheres, passa a vê-las sempre nuas.

A sessão insere-se no segundo ciclo Lauro António – Masterclass de História do Cinema, focado no tema “A Idade de Ouro do Cinema Italiano” (anos 40 aos anos 70).

Fellini, De Sica, Risi, Visconti, Rosselini e Antonioni são os realizadores escolhidos pelo crítico de cinema para retratar as três décadas em que a cinematografia italiana se destacou, impondo-se logo a seguir à II Guerra Mundial, num movimento que ficou conhecido como neorrealismo.

Como em todas as sessões, Lauro António marca presença no Fórum Municipal Luísa Todi onde comenta as obras em projeção.