25 Abril a 26 Abril
O Homúnculo

Onde: Sala Principal

Custo: 7 € | 5 € (estudantes, > 65 anos) | 3 € Escolas

O Homúnculo (cartaz) Título: "O Homúnculo, de Natália Correia"
Sinopse: Tragédia jocosa sobre um país comandado por um tirano
Produção: Teatro Estúdio Fontenova
Texto: Natália Correia
Encenação: José Maria Dias
Dramaturgia: Armando Nascimento Rosa
Interpretação: Bruno Moraes, Eduardo Dias, Ricardo Guerreiro Campos e Sara Costa
Cenografia: Ricardo Guerreiro Campos
Figurinos: Zé Nova
Assistência de Encenação: Leonardo Silva
Música Original: Bruno Moraes e Armando Nascimento Rosa
Desenho de Luz: José Maria Dias
Fotografia, Videomapping, Operação de Luz e Som: Leonardo Silva
Consultor Biográfico: Fernando DaCosta
Design Gráfico: Fernando Carvalho
Produção Executiva: Graziela Dias
Assistência de Produção e de Encenação: Leonardo Silva
Execução de figurinos: Gertrudes Félix e Zé Nova
Apoio ao Figurino (Bispo): Lucília Telmo
Produção, gravação e masterização: Carlos Ramos e Pedro Angelino
Participação Especial: Coral Infantil de Setúbal
Agenda: Em abril. Dia 25 às 19h00. Dia 26 às 21h30
Bilhetes: 7 € | 5 € estudantes e maiores de 65 | 3 € Escolas
Outras Informações: A encenação do dia 21 assinala o Dia Internacional da Poesia

Era uma vez um país tão perto no espaço e no tempo que nos basta nada fazer para lá irmos parar.

Esse país não vem no mapa, a sua geografia habita nas memórias e cicatrizes de um povo artesão especialista em fundir o mito com a realidade.

Nesse país há um homem que impõe a sua vontade e governa acima de todos os outros, será que um só homem consegue manter o poder sobre dez milhões de almas?

“O Homúnculo” de Natália Correia foi apreendido pela PIDE em 1965 após a primeira e única edição e, até ao momento, nunca foi representado por uma companhia profissional.

Em 2015 a publicação do texto faz 50 anos. Relembrando a versatilidade de Natália dramaturga, a sua contemporaneidade e cruzamento entre palavra poética e linguagens cénicas, o Teatro Estúdio Fontenova leva à cena esta tragédia jocosa em forma de sátira política contando para tal com a dramaturgia de Armando Nascimento Rosa.

A companhia assinala a data, também, com a publicação do referido texto. Para o efeito conta já com o prefácio de Armando Nascimento Rosa e com uma nota introdutória de Fernando Dacosta, personalidades estudiosas da obra de Natália Correia.